comunicados-oficiais

Título de Especialista em Endocrinologia e Metabologia (TEEM): 50 Anos

por Jornalismo SBEM em 28 de novembro de 2022


No início de novembro de 1972, mais precisamente no dia 7 de novembro, era divulgada a primeira listagem oficial dos aprovados para a prova de Título de Especialista em Endocrinologia e Metabologia (TEEM) da SBEM. Uma data marcante que está comemorando 50 anos. No livro do Dr. Luiz César Póvoa, História da Endocrinologia no Brasil, está destacado:

“Realiza-se então, em 1972, o primeiro exame no Congresso Brasileiro em Belo Horizonte com a Banca Examinadora composta por Bernardo Leo Wajchenberg, José Diogo Martins e Luiz Cesar Póvoa. Passaram então os exames a serem realizados bianualmente, nos Congressos Brasileiros, até 1977, quando foram criados os Cursos de Atualização, onde também são realizados exames, tornando-os anuais, no sentido de facilitar o acesso aos mais jovens. Mantém-se, assim, a chama oficial da SBEM de que a especialidade deve subsistir pela qualidade e não pela quantidade de seus sócios”.

De lá pra cá e até os dias de hoje, o TEEM está sendo cada vez mais valorizado por cada nova gestão da SBEM, que entende a importância sobre o TEEM desde a criação, como está no texto do livro do Dr. Póvoa.

Ao longo dos anos, o TEEM foi se adaptando e passando por várias fases, inclusive na época dos Cursos de Atualização, que aconteciam em três regiões do Brasil, simultaneamente. Uma das mais recentes mudanças no formato da prova foi a partir de análises e observações, onde se percebeu que era importante desvincular a prova da realização do Congresso.

A participação das mulheres aumentou muito, a prova passou a ser dividida em duas etapas e uma análise de temas está sempre sendo reavaliada. O que não se altera é o critério de excelência para que os novos endocrinologistas titulados mantenham sempre o alto nível científico.

Atualmente, o presidente da Comissão do TEEM, Dr. Rodrigo Moreira, destaca pontos importantes da prova e da importância do Título para a Endocrinologia Brasileira. Uma das características da prova do TEEM é abordar todos os temas de conhecimento de um Endocrinologista e Metabologia, incluindo Diabetes Mellitus, Obesidade, Síndrome Metabólica, Tireoide, Adrenal, Hipófise, Endocrinologia Feminina, Andrologia, Transgeneridade, Metabolismo Mineral e Ósseo, Dislipidemia, Endocrinologia Pediátrica e Endocrinologia Básica.

“Mais do que simplesmente atestar os conhecimentos dos candidatos, o TEEM hoje é uma das maneiras de se obter o Registro de Qualificação de Especialista (RQE) nos Conselhos Regionais de Medicinas. O RQE é a única maneira de um médico comprovar ser realmente um ESPECIALISTA em uma determinada área. Além disso, o TEEM é um pré-requisito para que o médico possa atuar nos cargos de direção da SBEM e, com isso, contribuir para o crescimento da Sociedade e da Especialidade”, reforça o Dr. Rodrigo.