comunicados-oficiais

Nota de Pesar: Dr. Marcello Bronstein

por Jornalismo SBEM em 25 de novembro de 2022


Algumas notícias são difíceis demais de dar e nessa sexta-feira a SBEM Nacional se sente com coração partido. Não existe o que dizer que possa ajudar nesse momento, mesmo que a comunidade médica estivesse se preparando para isso.

Há algumas semanas, o quadro geral de saúde do Dr. Marcello Bronstein vinha se agravando, mas sempre existia a esperança de recuperação.

Com muita tristeza, informamos o falecimento do Dr. Marcello na manhã de hoje depois de muita luta pela vida. Estamos muito, muito tristes, mas certos de que ele foi um guerreiro e agora descansará em paz. Marcello foi uma figura fundamental na carreira profissional de milhares de endocrinologistas, apoiando e incentivando a todos a sua volta, reconhecido e premiado internacionalmente.

Recebam Silvia, Ana e demais familiares o carinho, o conforto, o abraço e o reconhecimento da Diretoria da SBEM, do Corpo Editorial dos Archives of Endocrinology and Metabolism e de toda a Endocrinologia Brasileira, por todo o legado deixado.

Assim que a notícia foi divulgada, a SBEM começou a receber dezenas de mensagens, que vão sendo reproduzidas aqui, como uma homenagem ao professor Marcello.

Dr. Cesar Boguszewski – Nem sei o que dizer ou falar. Embora confesse que estivesse me preparando para essa notícia pelos fatos narrados nas últimas semanas, ainda assim guardava uma forte esperança de rever meu querido amigo, mestre e mentor. Marcello foi uma figura fundamental na minha carreira profissional e certamente não seria o que hoje sou sem o apoio e a amizade que ele me dedicou. Resta as boas lembranças de tantos grandes momentos compartilhados e dos seus ensinamentos para tentar amenizar a tristeza que nos invade agora. Recebam Silvia, Ana e demais familiares o carinho, conforto e abraço meu e da Margaret. A SBEM e a Endocrinologia brasileira enlutada irão prestar uma grande e justa homenagem ao legado do nosso amado Marcello.

Dr. Paulo Miranda – vice-presidente da SBEM: Dr. Marcelo sempre foi exemplo de dedicação e excelência em tudo que fazia. Mestre inspirador, formou inúmeras lideranças na especialidade. Hoje a Endocrinologia e Metabologia está em luto.

Dr. Rui Maciel – Muito triste com o falecimento do querido Marcello Delano Bronstein. Ele foi um orgulho de todos nós, acadêmico perfeito, ótimo médico, cultíssimo, grande humanista, brilhante professor, espetacular amigo.
Tivemos muitas jornadas juntos, inesquecíveis. Melhorei muito como médico, cidadão e humanista no convívio com o Marcello. Muita dor.

Dra. Ana Luiza Maia – Recebi a notícia com o coração carregado de tristeza. Tive a oportunidade de um convívio mais próximo do Marcello nos últimos 4 anos, qdo passei a colaborar para os AEM. Aprendi a admirar o gestor, o cientista e, principalmente, a pessoa Marcello Broinstein. Uma perda precoce e muito doída para todos nós. Que seja recebido com festa e muito paz.

Dra. Nina Musolino – Perdemos o Marcello hoje, mas apenas fisicamente. Seu legado para a endocrinologia não será jamais esquecido. Elevou a neuroendocrinologia brasileira a um nível de importância internacional. Um dia de luto e de tristeza para todos que o conheceram e tiveram o privilégio de aprender com ele ou de vivenciar sua paixão pela música clássica e ópera. Devo a ele meu amor pela neuroendocrinologia.

Dra. Monica Gadelha – Marcello me introduziu na Neuroendocrinologia. Devo muito a ele, muito mesmo! Foram inúmeros eventos juntos. Mas… o mais importante: nos tornamos grandes amigos, falávamos que éramos como irmãos. Ele era uma pessoa sensacional. A Neuroendocrinologia jamais (mesmo) será a mesma sem ele. Amo você para sempre meu querido amigo. Te esquecer, jamais. Estou arrasada. Perdi meu grande amigo. Não acredito ainda.

Dr. Mário Vaisman – Estou tristíssimo. Conheci Marcelo na Sta. Casa (1970) como meu chefe de leito. Nos tornamos grandes amigos por toda vida mesmo ele morando em SP. Tínhamos muito carinho um pelo outro. Falei com ele logo depois do transplante e estava animado, apesar das “barras pesadas” (palavras dele). Não consigo mais continuar escrevendo.

Dr. Cresio Alves – Em meu nome, e em nome dos colegas do Departamento Científico de Endocrinologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, expresso nosso pesar e sentimento pelo falecimento do colega Marcello Bronstein, que prestou grandes contribuições a endocrinologia, principalmente a neuroendocrinologia. Essa mensagem é extensiva a família de Marcello, aos colegas da SBEM e toda a equipe do Archives of Endocrinology and Metabolism, revista que adquiriu maior impacto e credibilidade quando ele foi o editor.

Dra. Fernanda Vaisman – Uma perda IMENSA!!! Pra quem teve oportunidade de conhecê-lo mais profundamente, poucas pessoas gostavam tanto da vida! Sempre alegre e piadista, além de um grande professor e pesquisador…. Muito muito triste.

Dr. Claudio Kater – Muito triste com a partida desse grande e ilustre amigo! Marcello lutou muito, mas infelizmente perdeu a batalha. Tinha combinado com ele de tomar uma cachaça com caldinho de feijão quando ele saísse, como fizemos muitas vezes na época que coordenamos um dos primeiros SINE, em São Paulo! Que pena!

Dra. Beatriz D’agord Schann – Recebo a triste notícia da passagem do Marcello no exato dia em que participo da primeira reunião presencial com a equipe do AE&M. Trabalhamos juntos nos últimos anos, fortalecendo o trabalho liderado por ele, aumentando o impacto e visibilidade internacional da revista. Uma pessoa competente, afável e generosa; perda inestimável. Aos familiares, o carinho de toda a equipe do AE&M.

Dr. Julio Abucham – A perda do Marcello foi muito grande e precoce dada sua imensa disposição para a vida em todos sentidos.Amigo há décadas, nos tornamos irmãos, trocavamos ideias continuamente, sobre medicina, filosofia, literatura, música, e tudo o mais. Tive o privilégio de conversar quase diariamente com ele até quando foi possível e o grande afeto recíproco que nos envolvia cresceu ainda mais. O Marcello é o que fica comigo, o outro se foi.

Dra. Marise Lazaretti Castro – Perdemos um grande ser humano. Marcello esteve presente em muitos momentos especiais ao longo de minha carreira, a começar por fazer parte da banca que me arguiu na prova prática do TEEM, há anos atras. Depois, estávamos juntos com frequência em eventos para os quais éramos convidados, e encontra-lo  era sempre uma alegria. Tive ainda a honra de estar presidindo a comissão científica do COPEM, no qual ele foi o escolhido para receber o prêmio maior dado a colegas pelo brilhantismo de suas carreiras. Ele era um grande e entusiasmado amigo da EPM-UNIFESP, tendo contribuindo inúmeras vezes com o nosso Serviço em aulas, bancas e colaborações cientificas. Enfim, Marcello fez sua vida valer a pena, e, além das saudades, deixará lembranças que o manterão vivo em nossas memórias.

Dra. Valéria Guimarães – Escrevo este texto com aperto no coração pela partida de nosso querido amigo, colega e professor Dr. Marcello Bronstein. Com saudades, procurei o que falar neste momento de tantas saudades e recordações. Encontrei trechos desta minha fala, quando em 2018, tive a honra de co-indicá-lo, e de saudá-lo, quando da entrega de um dos prêmios laureados mais importantes da Sociedade Americana de Endocrinologia, o Outstanding Clinical Practicioner Award. E foram estas partes de minhas palavras: “É à beira do leito onde toda magia do relacionamento entre o médico e seu paciente acontecem. É ali que o médico consegue traduzir todo o aprendizado adquirido através de suas pesquisas e do conhecimento advindo da ciência. É no leito de seu paciente enfermo onde a empatia é selada. É ali onde são forjados grandes médicos.

É também à beira do leito que os alunos são inspirados e aprendem pelo exemplo. Inspirados não apenas para serem bem formados, mas para serem excelentes na profissão. Médicos de conhecimento e de coração. Dr. Marcello Bronstein foi uma inspiração, não só para mim mas para mais de uma geração de Endocrinologistas brasileiros.

Existem poucos colegas que, como o Marcello conseguem exercer a academia, a educação médica, a investigação clínica, o despreendimento institucional junto à inúmeras Sociedades Médicas Nacionais e Internacionais, e que ainda praticaram com excelência a medicina clínica do dia a dia, à beira do leito ou na privacidade de consultório. Poucos conseguem, além dos predicados já citados, reunir respeito e admiração no seu país e no exterior.

Respeito e admiração por sua dedicação e cuidado aos pacientes, bem como por suas pesquisas com aplicação translacional de tantas questões desafiadoras da neuroendocrinologia. Com sua experiência clínica incomparável, Dr. Marcello esteve na vanguarda do estudo de questões importantes em neuroendocrinologia clínica. Foi um líder de destaque mundial no tratamento de hiperprolactinemia, dos tumores hipofisários na gravidez e da acromegalia.”

Por fim, e não menos importante, o Marcello era também o “médico dos médicos”, cuidando de inúmeros colegas e suas famílias, como é de meu conhecimento. Seu legado como educador, pesquisador e clínico, mas acima de tudo como um grande colega, sempre será lembrado. A dor de sua partida é amenizada pela lembrança de que luz de estrela não se apaga. Ela apenas muda de lugar, brilhando agora mais alto. Lá do céu, sei que segue a nos inspirar, junto a Deus. Um abraço muito apertado na Sílvia, na Ana e nos demais familiares, nestes dias de tanta saudade e dor.

*Vídeo feito em Chicago, durante o Endo 2018 (DC Press Agência de Conteúdo)

*fotos Celso Pupo/DC Press