noticias gerais

Linguagem Importa

por Jornalismo SBEM em 4 de março de 2022


A comunicação é um elemento essencial para o relacionamento, tanto dentro do seu ciclo de amizades quanto junto aos profissionais de saúde. Por isso, o tema vai sendo cada vez mais abordado, sejam em campanhas ou em publicações para esclarecer e orientar melhor todos os envolvidos.

Recomendações de Linguagem

O documento “Linguagem Importa – Atualização de Linguagem para Diabetes, Obesidade e outras Condições Crônicas de Saúde” foi lançado, recentemente, durante o Fórum Intersetorial para Combate às DCNTS no Brasil. O material é fruto de uma parceria do  Fórum DCNTs, com diversos de seus membros dos setores público, privado e sociedades médicas.

Na publicação é apresentada uma série de recomendações quanto ao uso de termos reconhecidos, atualmente, como mais adequados para a comunicação ligados às doenças crônicas não transmissíveis, baseadas ao já estabelecidos em entidades como a International Diabetes Federation (IDF), World Obesity Federation (WOF) e American Diabetes Association (ADA) e a Diabetes IK.

De acordo com o texto, o objetivo é que elas sirvam como referência para todos os profissionais de saúde, acadêmicos e estudantes de medicina, profissionais de comunicação e demais interessados.

Apesar das orientações, o documento não tem como objetivo impor ou regular as preferências de cada paciente. “Cada indivíduo tem liberdade para se referir a si mesmo da forma como se sentir mais confortável. Pode, também, preferir que seu núcleo familiar, ciclo de amizades ou comunidade o reconheça por determinados termos, ou mesmo apelidos”, afirma o texto.

Dados apontados pelo documento mostram que as condições crônicas não transmissíveis acometem mais de 50% da população adulta brasileira e são a principal causa de mortes em todo o mundo. Elas também são responsáveis por quase 76% das mortes no Brasil.

O “Linguagem Importa” pode ser lido, na íntegra, neste link