TRH: Prós e Contras

relogio 29/07/2009 - 11:20

O peso dos prós e contras varia de mulher para mulher. Por isso, eles devem ser esclarecidos e avaliados sempre com a ajuda do médico. Como benefícios, há melhor qualidade de vida, com o alívio das ondas de calor e do ressecamento genito-urinário e suas consequências (eventual dificuldade na relação, infecções ginecológicas mais freqüentes e urina solta), manutenção do tônus da pele, prevenção de osteoporose e de doenças coronarianas em mulheres que não as tem e proteção contra câncer de intestino.

Como contras, o hormônio não cria, mas pode alimentar alguns tipos de câncer que dependem dele, como os de mama, endométrio e ovário. Há ainda o risco de trombose que, de forma espontânea, é muito rara (três em cada dez mil mulheres). Mesmo assim, há situações que, por si só, predispõem à trombose. É o caso de uma imobilização prolongada, como por exemplo, internação ou cirurgias. Nessas ocasiões é recomendado suspender a TRH.

Exames Necessários

Não só para iniciar a reposição hormonal, mas como medida preventiva, devem ser feitos periodicamente exames clínico, da mama e ginecológico. A mamografia serve para identificar qualquer lesão, que pode ter passado despercebida pelo médico, e que tenha chance de aumentar, em função do hormônio. Já o ultra-som deve ser realizado para observar o ovário e o útero. Além desses exames obrigatórios, é interessante fazer uma densitometria óssea, através da qual será possível ter noção de outras necessidades da paciente, sem contar os hormônios.