#SBEMResponde: Obesidade

relogio 21/07/2017 - 15:05 #SBEMResponde

Diariamente a SBEM Nacional recebe mensagens, solicitações pelas redes sociais e emails nos vários canais de comunicação com o público. As respostas são encaminhadas, mas algumas delas são feitas inúmeras vezes.

Foram separadas as principais dúvidas recebidas para que os especialistas possam responder, de forma simples, a estes questionamentos.

Começa a série #SBEMResponde. Serão 10 semanas com publicação de dúvidas respondidas pelos endocrinologistas que fazem parte da Diretoria da Nacional, de Departamentos e Comissões da entidade.

O primeiro esclarecimento, sobre obesidade, é dado pelo Dr. Marcio Mancini, membro da diretoria e vice presidente da Comissão do Título de Especialista em Endocrinologia e Metabologia da SBEM (TEEM)

  • Quando sei que estou acima do peso ou obeso? Tem diferença?

marcio manciniUma das formas é avaliar a variação do peso. Se você interrompeu a prática de atividade física regular, ou mudou os seus hábitos alimentares depois de iniciar a vida profissional (esse é só um exemplo) e ganhou 5 quilos no último ano, não precisa fazer cálculos porque o cenário futuro não é nada bom. Melhor tomar uma atitude já antes que a situação piore.

Mas, em adultos, uma maneira rápida e prática é calcular o Índice de Massa Corporal, ou IMC, que é o peso dividido pela altura elevada ao quadrado. Parece difícil mas não é.

Pegue seu peso (em quilos) e divida pela sua altura (em metros); divida o resultado dessa conta novamente pela altura. Esse número é o seu IMC. Se o valor for de 25 ou mais, você tem excesso de peso (esse valor muda para 23 ou mais em asiáticos e 27 ou mais em idosos). O caso é mais preocupante na presença de obesidade, quando o número é de 30 ou mais (em asiáticos acima de 27,5).

No entanto, algumas pessoas podem ter o IMC normal e ter a gordura concentrada no abdômen. Isso pode ser até mais prejudicial à saúde. Se o valor da cintura (medida com uma fita métrica entre a última costela e o osso do quadril) for maior que 90 cm em homens e maior que 80 cm em mulheres, a saúde pode estar em risco. Há mais chance de haver alterações de colesterol, triglicérides, glicose no sangue e aumento de pressão arterial.

Não existe problema de aumento de peso com saúde. O peso em excesso aumenta inflamação, piora a respiração durante o sono, aumenta risco de câncer, problemas articulares, diabetes e problemas de coração. A expectativa de vida é cada vez mais reduzida no paciente com peso excessivo. Procure tratamento para o excesso de peso com um médico endocrinologista.

Pro Endocrino setembro 2019
Universidade online SBEM