Pesquisa: Médicos Brasileiros no Trabalho

relogio 18/09/2019 - 22:24 Institucional

Recentemente o Medscape divulgou informações de uma pesquisa sobre a avaliação dos médicos em relação à remuneração e à satisfação no trabalho em 2019.  O objetivo era levantar dados sobre os salários e quão satisfeitos ou não estão os médicos brasileiros.

Foi uma pesquisa anônima, com 1.599 participantes, com praticamente o triplo de participantes de 2017, quando a pesquisa anterior foi realizada. A grande maioria das respostas foi de homens, com 64% contra 36% de mulheres. A pesquisa foi realizada entre 28 de fevereiro e 10 de abril e a margem de erro foi de +/- 2,45%, em um nível de confiança de 95%, usando uma estimativa pontual de 50%

A média de horas semanais trabalhadas foi de 48. Em relação aos locais de trabalho, a pesquisa apontou que 41% estão em hospitais, 15% em consultórios particulares, 13% em unidades de saúde, 8% em clínicas compartilhadas com colegas da mesma especialidade e 7% em clínicas com múltiplas especialidades.

Sobre a situação trabalhista a maioria se definiu como funcionário (46%), depois autônomos, proprietários de consultórios particulares, sócios e proprietários de clínicas.

Quanto à remuneração as mulheres continuam ganhando menos dos que os homens (cerca de 30%). A maioria dos entrevistados afirmou que vive com a remuneração que recebem, sem gastar nem mais nem menos do que ganham, que é diferente de 2017, quando 59% afirmou que gastava menos do que recebe por mês.

pesquisa medscape

O tempo gasto com burocracia é grande. O percentual chega a 43% dos entrevistados, que responderam gastar cerca de 15h com papelada e trabalho administrativo. A remuneração foi considerada insatisfatória por mais da metade dos participantes, sendo que 40% dos especialistas afirmaram que estavam satisfeitos com a própria remuneração, enquanto entre generalistas esse índice foi de 35%.

Sobre seu desempenho nas suas funções 80% - a grande maioria – disse estar satisfeita ou muito satisfeita com o rendimento no trabalho. O fato de desempenhar bem suas funções foi o ponto mais gratificante apontado pelos médicos e 76% afirmaram que escolheriam novamente a carreira médica. O mesmo aconteceu com a especialidade, onde 69% responderam que repetiriam as escolhas.

pesquisa medscape

Responderam à pesquisa:

  • Região Norte – 3%
  • Região Nordeste – 13%
  • Região Centro-Oeste – 7%
  • Região Sudeste – 53%
  • Região Sul – 24%

pesquisa medscape

EMBE 2019
Pro Endocrino setembro 2019