Palestra sobre o SCOUT

relogio 13/06/2011 - 12:54

A SBEM promoveu, nesta segunda-feira, 13 de junho, a palestra "Sibutramine, the SCOUT Study Results and Implications". A apresentação, que foi realizada no Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (IEDE), foi feita pelo Prof. Dr. Christian Torp-Pedersen,  professor no Gentofte Hospital, Copenhagen, Dinamarca, e um dos pesquisadores do estudo SCOUT, e transmitida para todo o Brasil.

O palestrante é um dos pesquisadores do SCOUT, que motivou a proibição da sibutramina na Europa e nos EUA e está no Brasil para participar do Painel Internacional sobre Inibidores do Apetite, promovido pela Anvisa, amanhã,  dia 14 de junho, em Brasília.

  • Veja o resumo dos acontecimentos em relação à proposta da Anvisa(para ver em tela maior, clique duas vezes no vídeo abaixo).


Com foco na segurança do tratamento da obesidade com a utilização da sibutramina, a palestra mostrou, com detalhes, o perfil do público analisado. "A maioria 10744 pacientes estudados, em países como México, Brasil e Austrália, possuíam simultaneamente problemas cardiovasculares e diabetes em conjunto", afirmou.  Dr. Christian disse ainda que os resultados mostram que as contraindicações contidas na bula da sibutramina estavam corretas.

Ainda falando sobre segurança, o especialista mostrou uma lista de medicamentos que apresentam riscos no tratamento cardiovascular. "Muitas drogas usadas normalmente apresentam efeitos colaterais mortais, algumas delas, incluindo o diclofenaco, são vendidas sem controle em vários países, mesmo com outras alternativas mais seguras disponíveis. Se a sibutramina for retirada do mercado, essas outras drogas deveriam ser retiradas também", afirmou.

De acordo com Dr. Ricardo Meirelles, presidente da Comissão de Comunicação Social da SBEM, a apresentação foi importante por abordar pontos que ainda não haviam sido discutidos. "Mesmo que se comprove o risco de 1% em determinado tipo de paciente, ele levantou a questão, de maneira isenta, de que o paciente tem o direito a optar por esse risco em seu tratamento. Temos que respeitar a autonomia do paciente", afirmou o endocrinologista.

Após a palestra, foi aberta a sessão de perguntas para os participantes, tanto no auditório, quanto nas salas que acompanharam a palestra através da transmissão da RUTE.

Confira as fotos da palestra: