Opinião SBEM: Redução no Sódio

relogio 11/11/2013 - 11:13 Notícias

No último dia 5 de novembro, foi assinado pelo Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, junto com o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia), Edmundo Klotz, um acordo para a redução do sódio nos alimentos industrializados.

Este acordo determina a redução do teor de sal em laticínios, embutidos e refeições prontas em até 68% ao longo dos próximos quatro anos. Este é o quarto documento assinado pelo Governo Federal e pela Abia para a redução de sódio dos alimentos. Em agosto do 2012, a meta era reduzir 8,7 mil toneladas da substância de temperos, caldos, cereais matinais e margarinas vegetais, como parte do Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis.

O Ministério da Saúde divulgou que o número de pessoas que precisaram ser internadas, na rede pública de saúde, em decorrência da hipertensão arterial está menor. No total, foram 154.919 internações em 2010, 136.633 em 2011 e 115.748 em 2012. A taxa de pessoas internadas para 100 mil habitantes caiu de 95,04 em 2002 para 59,67 em 2012. A queda se deveu a um maior acesso aos medicamentos necessários para controlar a doença.

Declaração da Dra. Nina Musolino 

A hipertensão é um grande problema populacional e diretamente ou indiretamente ligado a diversas doenças endócrinas, que podem ser causas de hipertensão ou terem a hipertensão como uma co-morbidade, isto é uma doença ligada ao problema endócrino e que funciona como um fator de complicação e aumento do risco da doença. Por exemplo, em pacientes com diabetes, obesidade, hipotireoidismo, acromegalia, síndrome de Cushing, entre outras doenças endócrinas, a hipertensão é muito comum e pode ser mesmo o primeiro sintoma da doença.
 
Tanto na hipertensão essencial como na hipertensão dependente ou ligada às doenças endócrinas, a redução do consumo de sódio pode ter importante impacto no auxílio do controle pressórico. Sabemos também que tem havido um consumo crescente de produtos industrializados, com alto teor de sódio, pela população em geral, a medida do governo em sintonia com a indústria alimentícia pode ter um impacto importante já na infância e a SBEM apoia a redução do consumo de sal.
 
Apenas temos de salientar que a medida não pode ser isolada com redução de sódio, as discussões sobre a redução das gorduras saturadas e do açúcar deve ser mantida.
cbaem 2019
Pro Endocrino abril 2019