Fórmulas para Emagrecer Aumentam Incidência de Hipertireoidismo

relogio 13/05/2008 - 14:44
Cerca de 15% da população brasileira acima de 45 anos sofre de algum distúrbio da tireóide. A utilização crescente e indiscriminada de fórmulas para emagrecer, que contém hormônio tireoidiano tem elevado a incidência de hipertireoidismo.

De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto de Medicina Social da UERJ e pela Faculdade de Medicina da UFRJ, com a participação do Dr. Mario Vaisman, entre outros, numa amostra de 1.500 mulheres, com mais de 35 anos, no Rio de Janeiro, usuárias e não usuárias de fórmulas para emagrecer, os níveis de TSH (hormônio estimulador da tireóide, produzido pela hipófise), foram 24,3% e 30,7% menores entre as usuárias de fórmulas, quando comparados com não usuárias prévias e usuárias prévias.

A conclusão final do estudo é que o uso de fórmulas para emagrecer diminuiu os níveis de TSH em mulheres brasileiras, por provável uso de hormônios tireoidianos na composição das fórmulas utilizadas na terapia do emagrecimento.

Atualmente, as pessoas vivem mais e dispõem de mais possibilidades para diagnosticar e tratar as doenças da tireóide. Por outro lado, as doenças da tireóide são silenciosas e boa parte da população ainda não está devidamente conscientizada para a sua prevenção e para o seu tratamento. Nos idosos, a doença ainda sofre o risco de ser camuflada com os sintomas do envelhecimento.

Alguns números relativos às doenças relacionadas à tireóide:

  • O hipotireoidismo atinge 3% da população adulta masculina, enquanto que nas mulheres com mais de 45 anos, salta para 15%.
  • A Tireoidite - inflamação da glândula tiróide - afeta cerca de 10 milhões de pessoas no Brasil, podendo causar tanto hipertireoidismo como hipotireoidismo ou um seguido pelo outro. Pode também causar bócio, um inchaço anormal no pescoço devido a um aumento da glândula tiróide, doença causada pela carência de iodo no organismo, em função da inatividade da tiróide.
  • É provável que existam 10 milhões de portadores de nódulos tireoidianos no Brasil.
  • Entre 1994 e 2004 dobrou o número de pacientes de Tireoidite Crônica auto-imune, conhecida como Tireoidite de Hashimoto. O excesso de iodo no sal de cozinha é apontado como um dos prováveis fatores que aumentaram esta prevalência pela ação deletéria do excesso de iodo no organismo.
  • O Teste do Pezinho, obrigatório por lei, deveria ser aplicado em todos os nascituros e é importante para diagnosticar precocemente o hipotireoidismo congênito, causa não só de retardo mental, mas de alterações neurológicas menos evidentes com comprometimento da capacidade intelectual, crescimento, etc.

Sugestão de fonte

- Prof. Dr. Mário Vaisman - UFRJ

- Prof. Dra. Laura Sterian Ward - professora livre-docente de Clínica Médica da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp e membro da diretoria do Departamento de Tireóide da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

 

Para entrevistas falar com - Valentina Meyer Consultoria & Comunicação
v.meyer@valentinameyer.com.br
Tel.: 11 3168 3166 ou 3071 4568