Chat sobre Emagrecedores

relogio 28/04/2010 - 12:21

O Dr. Alexandre Hohl, membro da Comissão de Valorização de Novas Lideranças da SBEM, participou, recentemente, de um chat sobre a utilização de medicamentos para emagrecer, principalmente a sibutramina. O bate-papo foi promovido pelo Diário Catarinense e, durante cerca de 30 minutos, o endocrinologista tirou as dúvidas dos internautas.

Os questionamentos foram os mais variados, passando por efeitos colaterais, dosagem de sibutramina e uso de emagrecedores durante a gravidez.

De acordo com o primeiro Relatório do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC), publicado pela Anvisa, o Estado de Santa Catarina é líder no consumo da substância no país.

Além da sibutramina, Santa Catarina está entre os que mais consomem remédios para emagrecer, entre eles a anfepramona, o femproporex e o mazindol.

Confira, abaixo, alguns momentos do bate-papo online, que pode tirar algumas dúvidas sobre a questão:

Internauta: A sibutramina pode causar distúrbios psíquicos?
Dr. Alexandre Hohl: A sibutramina age no Sistema Nervoso Central, aumentando a saciedade, entretanto, ela pode causar efeito colateral de ansiedade e irritabilidade. Ela não mudou de categoria (de C1 para B2) por causar dependência química, mas sim para aumentar o seu controle.

Internauta: Qual o risco de tratamento com a substância em caso de gravidez?
Dr. Alexandre Hohl: A sibutramina não deve ser usada na gravidez. Pacientes obesas em idade fértil devem utilizá-la juntamente com método anticoncepcional.

Internauta: Qual destas substâncias é mais prejudicial ao organismo: sibutramina ou femproporex?
Dr. Alexandre Hohl: O femproporex é um derivado de anfetamina com muitos efeitos colaterais quando comparado com a sibutramina. O risco de usar femproporex é maior.

Internauta: Qual o mínimo recomendado em mg que um adulto pode tomar?
Dr. Alexandre Hohl: A dose mínima de sibutramina são 10 mg ao dia e a dose máxima são 20 mg.

Internauta: Por que quando utilizamos a sibutramina e paramos voltamos a ganhar peso e, às vezes, mais que perdemos?
Dr. Alexandre Hohl: Todo tratamento de obesidade deve ser baseado em 3 pontos: reeducação alimentar, atividade física regular e medicação (se necessário). Na maioria das vezes, o paciente usa o medicamento e não muda o estilo de vida de maneira permanente.

Internauta: Os nutrólogos defendem o uso de sibutramina no combate à obesidade. Por que os endocrinologistas não?
Dr. Alexandre Hohl: De forma alguma. A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, responsável pela confecção das diretrizes do tratamento de obesidade pela Associação Médica Brasileira, considera a sibutramina a droga de primeira linha no tratamento de obesidade.

Internauta: Eu ja tomei sibutramina, mas desisti porque meu intestino ficou preso, é normal?
Dr. Alexandre Hohl: A constipação é um dos efeitos colaterais da sibutramina.

Internauta: Qual o risco que o paciente pode ter se tomar o dobro do recomentado 40mg?
Dr. Alexandre Hohl: O paciente NÃO deve tomar 40 mg por dia pois não é a dose recomendada.

Internauta: A sibutramina causa impotência sexual?
Dr. Alexandre Hohl: A disfunção sexual não é um efeito colateral descrito da sibutramina.

Internauta: Quais os principais efeitos colaterais da sibutramina?
Dr. Alexandre Hohl: Dor de cabeça, irritabilidade, boca seca, prisão de ventre, acelerar o coração.

Internauta: Esse medicamento pode prejudicar a tireoide?
Dr. Alexandre Hohl: A sibutramina não tem relação com a tireoide.

Internauta: Sibutramina pode matar?
Dr. Alexandre Hohl: Não há relatos de risco de morte com uso de sibutramina em pacientes obesos que tinham indicação de usá-la.

Internauta: É normal não emagrecer com sibutramina?
Dr. Alexandre Hohl: Em alguns pacientes, a sibutramina não atinge o objetivo e não ocorre a perda de peso.

Saiba Mais: