Workshop e Seminário no e-CBEM: 30 de Novembro

relogio 01/12/2020 - 10:36

Ciência versus pseudo ciência foi o tema do workshop da manhã desta segunda-feira no e-CBEM, da Comissão de Formação Médica em Endocrinologia e Metabologia.

A discussão foi iniciada com as considerações do Dr. Ayrton Moreira, que falou sobre a tomada de decisão: da experiência a evidência científica, das diretrizes a abordagem Bayesiana. Segundo ele, no raciocínio bayesiano e na prática médica a lógica bayesiana apresenta a incerteza em termos de probabilidade.

Já a Dra. Vania Santos Nunes apresentou o assunto metanálise e revisão sistemática na vida do endocrinologista. Alguns dos tópicos abordados por ela destacaram o nível de evidência para as tomadas de decisões clínicas, os tipos de revisões sistemáticas, os tipos de desfechos e a relação causa-efeito.

Outro ponto discutido no workshop foi a globalização para o desenvolvimento científico. A Dra. Ana Claudia Latronico destacou que a ciência é um trabalho criativo e coletivo e falou sobre a importância da colaboração, que de acordo com ela “permite unir pessoas com diferentes experiências, conhecimentos e habilidades para construção de objetivos comuns.”

O debate foi encerrado com a apresentação da Dra. Denise Pires de Carvalho, atual Reitora da UFRJ, que falou sobre a marcha pela ciência e o impacto para o futuro do Brasil. Ela ressaltou as mudanças conceituais na ciência e tecnologia e destacou que no atual século o modelo é circular: o conhecimento gerado continua trazendo novas tecnologias, mas há uma retroalimentação entre a tecnologia e a aplicação do conhecimento, gerando conhecimentos novos.

cbem 2020

denise pires

Inteligência Artifical

A Endocrinologia na Era da Inteligência Artificial foi o tema do último workshop do terceiro dia do e-CBEM 2020. A Dra. Maria Cristiane Barbosa Galvão falou sobre o acesso à informação por meio das tecnologias digitais e seu impacto e apresentou dados importantes de acesso às informações de saúde: “No Brasil temos 212 milhões de habitantes - deles 120 milhões estão conectados à internet por meio do celular - mas 70% da população brasileira tem baixos niveis de competencia informacional de saúde, ou seja, competência necessária para que usar adequadamente as informações de saúde”, disse.

Já o Dr. Márcio Krackauer apresentou o tópico: “Telemedicina: como o endocrinologista deve se preparar para ela?”. O médico citou a importância da modalidade de atendimento, principalmente durante a pandemia de Covid-19. “De 17 de março a 31 de maio - o Departamento de Endocrinologia do Phoenix Children´s Hospital atendeu 4.400 pacientes por meio de consultas de telemedicina - 86% do total de visitas - as presenciais representaram apenas 14% das consultas”, apresentou.

O terceiro tema do Workshop foi “Plataformas on-line: o que esperar delas pós-pandemia?”, comandado pela Dra. Aline M Beleigoli. A especialista acredita que as plataformas digitais podem atender a necessidade de comunicação e monitoramento da saúde dos pacientes e serem eficazes para complementar a assistência, mas o engajamento em longo prazo ainda é um desafio.

Por último, o especialista Dale Abel fez uma comparação entre a chamada Endocrinologia Clássica e a Nova Endocrinologia - e a relação de diversos órgãos, que não são considerados tradicionalmente como endócrinos, na produção de hormônios, entre eles a pele, o tecido adiposo e o intestino.

cbem 2020

cbem 2020