Vacinação: H1N1

relogio 27/01/2010 - 17:00

 

Por Pablo de Moraes

O Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, se reuniu, no dia 26 de janeiro, em Brasília, com entidades que representam profissionais de saúde e especialistas para ouvir a opinião sobre a “estratégia nacional de enfrentamento” contra a Influenza A (H1N1). Participaram do encontro a SBEM, a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, Sociedades Brasileiras de Cardiologia, de Imunização, de Infectologia, de Medicina da Família e Comunidade, de Pediatria, de Pneumologia e Tisiologia e o Núcleo de Educação e Saúde Coletiva.

De acordo com o Dr. Ricardo Meirelles, presidente da SBEM, a reunião serviu para que as entidades pudessem analisar e opinar sobre as prioridades de vacinação. “No caso da Endocrinologia, nossa participação foi muito importante porque fomos consultados se a vacinação deveria incluir apenas as pessoas com diabetes tipo 1. Conseguimos que fossem vacinados também as com o diabetes tipo 2”. Segundo Dr. Ricardo, as Sociedades se colocaram à disposição para avaliar possíveis necessidades de mudança no programa de vacinação contra a gripe H1N1, ao longo de sua execução.

sociedades médicas se reúnem com ministro da saúde

sociedades médicas se reúnem com ministro da saúde

Fotos: Rubens Silva/MS

Após a reunião, o Ministro fez o anúncio oficial sobre como será feira a vacinação.

A Estratégia

Cerca de 62 milhões de brasileiros devem receber a vacina contra a Gripe A. De acordo com o Ministro da Saúde, a imunização será feita em quatro etapas, entre 8 de março e 7 de maio. 

Cada uma das fases estará voltada a um público específico: trabalhadores da rede de atenção à saúde e profissionais envolvidos na resposta à pandemia, indígenas, gestantes, pessoas com doenças crônicas e obesidade grau 3 - antiga obesidade mórbida, crianças de seis meses a dois anos e adultos de 20 a 29 anos. As quatro etapas da vacinação terminam antes do início do inverno no país, quando é registrado o maior número de casos de gripe.

Segundo o Ministério, o objetivo não é evitar a disseminação do vírus, mas manter os serviços de saúde e reduzir o número de casos graves e óbitos. No total, serão 83 milhões de doses, que custaram R$ 1 bilhão.

No ano passado, o Brasil registrou 40 mil casos da doença e 1.705 óbitos.

Etapas de Vacinação
 

  • De 8 a 19 de março de 2010

Serão imunizados: a população indígena, os trabalhadores da rede de atenção à saúde e profissionais envolvidos na resposta à pandemia. Entre os trabalhadores, estão médicos, enfermeiros, recepcionistas, pessoal de limpeza e segurança, motoristas de ambulância, equipes de laboratório e profissionais que atuam na investigação epidemiológica. A vacinação dos indígenas abrangerá a totalidade da população que vive em aldeias e será realizada em parceria com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

  • De 22 de março a 2 de abril de 2010

Serão vacinadas as grávidas, em qualquer período de gestação, pessoas com problemas crônicos (exceto idosos, que serão chamados posteriormente) e crianças de seis meses a dois anos. Na lista, entram doenças do coração, pulmão, fígado, rins e sangue; pessoas com diabetes, pessoas com debilitação no sistema imunológico e obesos grau 3 - os antigos obesos mórbidos. As gestantes começam a ser imunizadas nesse período e poderão tomar a vacina em qualquer outra etapa.

As crianças de 6 meses a 2 anos devem receber meia dose da vacina e, depois de 21 dias, poderão tomar a outra meia dose.

  • De 5 a 23 de abril de 2010

Serão imunizados os adultos de 20 a 29 anos.

  • De 24 de abril a 7 de maio de 2010

A quarta e última etapa de vacinação contra a Gripe A coincide com a campanha anual contra a gripe comum. Nesse período, os idosos serão imunizados para a influenza sazonal, como todos os anos. Se tiverem doenças crônicas, receberão também a vacina contra a gripe pandêmica. A estratégia foi elaborada de forma que a população dessa faixa etária se dirija aos locais de vacinação apenas uma vez.

Ainda de acordo com o Ministro, casa haja alteração na situação epidemiológica e disponibilidade da vacina, outros grupos poderão ser imunizados numa quinta etapa da estratégia.