Uso Irregular de Anabolizantes é Lesivo à Saúde

relogio 27/07/2009 - 12:05
Já é clichê tratar o Brasil como um país de corpos suados e "sarados", para utilizar o jargão empregado nas academias de ginástica. O problema é que nem todos procuram os meios mais saudáveis para alcançar a forma ideal. A ingestão de substâncias anabolizantes (por via oral ou injetada) e o excesso de exercícios físicos na busca do corpo perfeito são danosos à saúde. Durante o verão, também surgem as receitas de dietas e medicamentos "milagrosos". A SBEM tem se pronunciado em relação a estes compostos.

O abuso das substâncias na busca de resultados milagrosos no crescimento dos músculos corporais foi um dos temas tratados no 26º Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia, em novembro de 2004, em Florianópolis. Nele, o Dr. Luiz Cesar Póvoa - um dos maiores especialistas no tema no país - abordou o assunto para uma sala lotada de especialistas. A cobertura da palestra está na 14a edição da Folha da SBEM Online (disponível a associados na Área Científica)..

No Brasil, não se tem estimativa deste uso ilícito, mas sabe-se que o consumidor preferencial está entre 18 a 34 anos e, em geral, é do sexo masculino. Dezenas de produtos entram ilegalmente no país e são vendidos em academias e farmácias. Muitas das substâncias são falsificadas e acondicionadas em ampolas não esterilizadas, ou misturadas a outras drogas. A população precisa estar atenta, principalmente nos períodos de férias e em cidades litorâneas, nos quais os índices de ingestão ilegal do produto são maiores.

Os Efeitos e a Postura Ética

Segundo o Dr. Póvoa, em entrevista ao site da SBEM , a incidência de pacientes solicitando a transcrição de substâncias anabolizantes é relativamente freqüente, pois existe uma verdadeira rede entre academias e médicos que fazem este tipo de câmbio inconsciente e inconseqüente, sendo uma forma lesiva à saúde. Entretanto, a posição ética do endocrinologista é avaliar as necessidades e, dentro dos parâmetros científicos e das regras de conhecimento ético, indicar o melhor tratamento ao paciente.

Tremores, retenção de líquidos, aumento na pressão sanguínea, impotência sexual, lesão renal, diminuição dos testículos (em homens) e dos seios (nas mulheres), calvície, infertilidade, acne e dores nas juntas são alguns dos efeitos colaterais destas substâncias. O Dr. Póvoa ressalta que estes efeitos dependem do tipo de anabolizantes utilizados; desde hormônios de crescimento a esteróides sexuais, que são os mais usados, e até outras substâncias como insulina, causando hipoglicemias.

Os esteróides sexuais, mais conhecidos apenas como anabolizantes, são drogas relacionadas à Testosterona (hormônio masculino fabricado pelos testículos). Nos casos de necessidade clínica, os pacientes são indicados a tomarem doses mínimas para apenas regularizar sua disfunção em casos de magreza excessiva, por exemplo. Por sua propriedade de aumentar os músculos, são muito procurados por atletas ou pessoas que querem melhorar a performance e a aparência física. O perigo está aí. Como o uso do medicamento para fins estéticos não é recomendado por médicos, é ilegal. Além disso, pode trazer problemas à saúde.

Para finalizar, o Dr. Póvoa deixou alguns recados:

  • "Nada mais fundamental à vida humana do que água. Porém, se você tomar água de mais, morre afogado. E se tomar de menos, morre de sede". Ou seja, tudo na vida tem um limite e é preciso respeita-lo para benefício próprio.
  • A princípio, a busca por resultados imediatos (tanto no emagrecimento quanto no ganho de músculos) deve ser sempre combatida, pois aumentam as chances de o paciente ter problemas de saúde.
  • O maior problema para os médicos, nestes casos, é a reeducação dos indivíduos. Eles já estão acostumados com suas rotinas, principalmente alimentares.