Síndrome dos Ovários Policísticos em adolescentes obesas

Eventos Médicos

Síndrome dos Ovários Policísticos em adolescentes obesas

por site em 15 de abril de 2021


Erika Paniago Guedes – Comissão de Valorização de Novas Lideranças

Polycystic ovary syndrome in obese adolescents

Autores: Takara Stanley and Madhusmita Misraa 

Revista: Current Opinion in Endocrinology, Diabetes & Obesity;15:30-36, 2008

A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), presente em 6% das mulheres em idade reprodutiva, é caracterizada por hiperandrogenismo, hiperinsulinemia, disfunção menstrual e complicações metabólicas e cardiovasculares. Obesidade é uma comorbidade que frequentemente precede o desenvolvimento da SOP, ao promover o aumento dos níveis de insulina. Os critérios diagnósticos ainda permanecem em controvérsia; de acordo com os critérios de Rotterdam (2003) exige-se a presença de 2 dos seguintes aspectos: oligo e ou anovulação, sinais clínicos e ou laboratoriais de hiperandrogenismo e morfologia de SOP na ultrassonografia (USG); já pela ´´Androgen Excess Society´´ (2006), considera-se a presença de oligo-anovulação ou de morfologia de SOP na USG, associada ao hiperandrogenismo clínico e ou laboratorial, excluindo-se outras causas de excesso de androgênios. Em adolescentes, o diagnóstico pode ser ainda mais difícil pela presença fisiológica de ciclos menstruais anovulatórios nos 2 primeiros anos após a menarca, além de faltarem critérios diagnósticos ultrassonográficos aplicáveis nesta faixa etária.
   
Em adolescentes também se observa a relação entre resistência à insulina e SOP. Em um estudo, intolerância à glicose foi encontrada em 27% das pacientes adolescentes obesas e com SOP. Em adolescentes magras com SOP, outros mecanismos fisiopatológicos devem estar envolvidos, já que não existe a relação com hiperinsulinemia observada na presença de excesso de peso. Associada à resistência à insulina, nas obesas com SOP, uma maior prevalência de síndrome metabólica geralmente é encontrada, o que pode contribiur para a elevação do risco cardiovascular nestas pacientes.
   
As estratégias terapêuticas para a SOP em adolescentes envolvem: perda de peso (mudança de hábitos de vida), anticoncepcionais orais e uso de sensibilizadores de insulina. A perda de peso tem sido correlacionada com a redução dos níveis de androgênios. O uso de anticoncepcionais orais, contendo um progestágeno com baixa androgenicidade, ainda permanece como primeira linha de tratamento, melhorando sobretudo a acne, hirsutismo e a regularidade menstrual, porém sem repercurssões metabólicas favoráveis, principalmente quando se avalia as pacientes obesas. A metformina é o sensibilizador de insulina mais utilizado para SOP, promovendo diminuição da resistência à insulina, regularização menstrual, diminuição dos androgênios e melhora metabólica (parâmetros glicêmicos e lipídicos). Estudos com tiazolidinedionas têm demonstrado efeitos positivos no tratamento da SOP.