Simpósio – Validade das Dosagens de Testosterona

Eventos Médicos

Simpósio – Validade das Dosagens de Testosterona

por site em 15 de abril de 2021


Padronização das Dosagens de Testosterona para Diretrizes Diagnósticas e Terapêuticas.
N.D. Burman et al. (África do Sul)

Testosterona sérica colhida em jejum e SHBG permanece o instrumento de laboratório mais acessível mas cercada de problemas: diferentes kits e resultados de laboratório e faixas de normal são relacionadas ao padrão ouro de espectrometria de massa; em homens mais jovens há ampla variação. O desvio padrão de densidade óssea , T score e Z score deveria ser usado também para níveis de testosterona sérica.

Os autores estudaram 100 jovens adultos ,fazendo dosagens de T sérica com 2 kits,comerciais Centaur e Immulite. Chegaram à conclusão que dosagem única de testosterona é útil para medir a média e a faixa num grupo. A não ser que a testosterona esteja no limite superior , nenhum kit é perfeito para dosagem de T e os autores concordam em classificar no T e Z score baseada em espectrometria de massa como padrão ouro para uso clínico.

Avaliação Bioquímica de Hipogonadismo e Testosterona em Home
C.J. Malkin, Inglaterra

Hipogonadismo é difícil de confirmar com dosagens padrões. Ampla proporção da testosterona é ligada ao SHBG e é biológicamente inativa. Medidas apuradas de T. livre e T biodisponível (Bio-T) não são geralmente disponíveis. Neste estudo os autores compararam formulas calculadas da T.T e SHBG e sua habilidade de predizer hipogonadismo com a Bio-T.

A conclusão foi uma medida única de T.T é a medida mais útil do status androgenico. Um índice (Equação matemática) derivados dos dados do autor provaram a melhor avaliação da Bio-T e marcadores de hipogonadismo.

Numa deficiência androgênica bordeline índices publicados de testosterona. livre e o cálculo de Bio-T dos autores teria eficácia equivalente.

Devemos ter mais dados para termos um padrão ouro de índice de testosterona.

Validade dos índices de T.
M.E. Carruters, Inglaterra

Á avaliação exata da deficiência androgênica tanto em homens quanto mulheres está tendo uma importância cada vez maior. Assim os problemas inerentes a sua dosagem e a interpretação em resultados revistos e classificados como segue: Problemas de amostragem: As exatas condições das amostras em relações circadianas e sazonais, dieta, álcool, atividade física, armazenamento. Problemas médicos: Os níveis androgênicos variam de acordo com a saúde geral do paciente, stress, atividade sexual, e tabagismo.
Problemas da dosagem: As dosagens de andrógenos usadas tem precisão variadas e são sujeitos a grande variação laboratorial. Problemas de interpretação: Os níveis necessários durante a vida podem variar para diferentes orgãos de acordo com os níveis celulares necessários para manter função em relação a um sistema endócrino envelhecido e mudanças de status de receptor androgênico. Outros dados não conhecidos são efeitos de antagonistas como SHBG, estrogenos, catecolaminas, cortisol, e anti-andrógenos. Algumas pessoas podem necessitar de níveis de andrógenos da sua juventude para se sentirem bem.

Conclusões (opinião do autor): As dosagens laboratoriais podem apoiar um diagnóstico de deficiência androgênica, não devem ser usada para excluir este diagnóstico. Devem haver nos aspectos clínicos de cada caso, avaliação cuidadosa da sintomatologia e onde necessário e quando necessário um teste terapêutico de tratamento de androgenico pode ser dado.

Associação insatisfatória entre sintomas relatados de andropausa e níveis hormonais em velhos saudáveis
A. Perheentupa, Finlândia

O envelhecimento é associado com várias mudanças hormonais. Nos homens a diminuição dos níveis T. ocorrem lentamente durante vários anos e os sintomas relacionados a hormônios podem ser difíceis de identificar. Alem disso na. andropausa ou deficiência androgênica parcial do envelhecimento masculino (PADAM) isto é diminuição dos níveis séricos de andrógenos e sintomas correlatos somente afeta cerca de 20% dos homens entre 60/80 anos. Várias glândulas e hormônios se tornam menos ativas durante este período, consequentemente não está claro que sintomas são causados pela a falta de hormônios específicos e quais podem ser considerados parte do envelhecimento normal.

O resultado trabalho do autor mostra que uma grande proporção de velhos com sintomas relacionados a andropausa tem níveis normais de hormônios. Consequentemente em relação a uma apropriada terapia de reposição androgênica para PADAM, mais pesquisa é necessária antes que a seleção apropriada de homens possa ser alcançada.