Serviço de Endocrinologia É Desativado

relogio 20/03/2009 - 10:31

por Flavia Garcia

Começou uma grande mobilização dos médicos e profissionais de saúde do Serviço de Endocrinologia do Hospital Brigadeiro, em São Paulo, depois de divulgada a notícia sobre o fechamento do Serviço, no Diário Oficial do Estado de São Paulo, em 13 de março. O Dr. Ronaldo Sabino Jacob, presidente do Centro de Estudos e Chefe do Ambulatório de Diabetes e Tireóide do hospital paulistano, informou que na quarta-feira, 25 de março, foi realizada uma reunião entre o sindicato dos funcionários públicos, o Secretário de Saúde do estado e a diretoria do Hospital Brigadeiro.

Segundo ele, a situação do serviço permaneceu a mesma após a reunião. “Está tudo igual como antes. O pessoal foi irredutível. Eles querem transformar o Serviço em um Serviço de Neuroendocrinologia, mas nós já tínhamos um. O Brigadeiro é conhecido, no Brasil inteiro, por já ter muitos médicos neuroendocrinologistas. Nesses últimos 10 anos, por exemplo, tivemos 7 cursos sobre esta especialização, formando pessoas do país inteiro. A gente tem estrutura. O pessoal é bom em neuroendocrinologia, é bom em diabetes, em tireóide e é bom em supra-renal. Na verdade, não tem muita lógica essa historia toda”, reivindicou.

Sobre o assunto, o Dr. Ricardo Meirelles, presidente da SBEM Nacional, afirma que “a SBEM encara com perplexidade a desativação de um serviço de endocrinologia do porte do existente no Hospital Brigadeiro”. Ele concorda que o serviço de São Paulo foi o responsável pela formação de diversos endocrinologistas de todo o país. E completa: “num momento em que cada vez mais são necessários endocrinologistas para fazer frente a duas das principais questões de saúde pública, como a obesidade e o diabetes, esta desativação é preocupante de modo que tomaremos as providências possíveis para reverter essa situação”.

Serviço de Referência Funcionava Há 40 Anos

De acordo com carta assinada pelo Prof. Dr. Bernardo Liberman (presidente do Comitê Científico do Centro de Estudos do Hospital Brigadeiro - CEHB), e pelo Dr. Ronaldo Sabino Jacob, tanto o Serviço de Endocrinologia, que funcionava há 40 anos, quanto o ambulatório de Pé Diabético foram “sumariamente extintos, sem aviso prévio, pela Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo”. No documento, os médicos solicitam ajuda, em prol da população.

O serviço atendia, em média, 16 mil pacientes por ano. Além disso, possuía o único ambulatório de Pé Diabético na capital paulistana. Por ser um serviço de referência, mantinha um programa de residência e estágio médico, cujos atuais cursandos tiveram sua especialização interrompida. “Estamos na rua da amargura, os estagiários estão sem rumo e os pacientes, muito mais, estão na rua da amargura”, completou o Dr. Ronaldo.

O especialista relatou, ainda, que “está tudo parado. Os pacientes estão sendo encaminhados para postos de saúde e nós sabemos muito bem o que acontecerá com estes pacientes, com doenças de alta complexidade, nos postos de saúde. Por mais competente e de boa vontade que o médico seja, ele não tem estrutura necessária para dar um bom fim ao tratamento desses pacientes”.

Um exemplo citado pelo Dr. Ronaldo, a respeito da situação das pessoas que eram atendidas pelo Serviço do Hospital Brigadeiro, foi o de um paciente com acromegalia, que necessita de medicamento especial uma vez por mês e só conseguiu marcar consulta para daqui a cinco meses. “É uma loucura o que estamos vendo aqui”.

Leia também no site da SBD: