SBEM na Copa

relogio 09/06/2014 - 13:17 Publicações da SBEM
No clima da Copa do Mundo 2014, a SBEM vai trazer para seus internautas matérias e artigos com informações e esclarecimentos sobre o esporte que mexe com o coração dos brasileiros. A nova Comissão Temporária para o Estudo da Endocrinologia, Exercício e Esporte (CTEEE) vai fazer um bate bola com alguns dos principais assuntos da Copa ligados à saúde.
 

E os comentaristas dessa mesa redonda são: presidente, Dr. Roberto Luís Zagury; Dr. Ricardo de Andrade Oliveira, Dr. Alexandre Hohl (Representante do Departamento de Endocrinologia Feminina e Andrologia), Dra. Victoria Borba (Representante do Departamento de Doenças Osteometabólicas), Dr. Josivan Lima, Dr. Fabio Moura, Dr. Yuri Galeno, Dr. Felipe Gaia (Presidente da Comissão de Novas Lideranças da SBEM) e Dr. Mauro Scharf. Eles irão se revezar na missão de esclarecer todos os detalhes dessa partida.

O primeiro assunto foi abordado durante uma das coletivas da CBF na Granja Comary (concentração da Seleção Brasileira) pela equipe médica, e também enviada pela FIFA aos jornalistas, foi o antidoping.
 
Hora de entender melhor e o assunto é explicado pelo Dr. Roberto Luís Zagury, presidente da CTEEE:
 
Nesta Copa do Mundo de 2014 no Brasil, será utilizado, pela primeira vez, o sistema de testagem anti-dopping conhecido como “passaporte biológico”. Tal estratégia consiste na coleta de 3 a 4 amostras de urina e sangue dos atletas ao longo de alguns meses a anos a fim de construir uma espécie de perfil do praticante. Com isso é possível a detecção de desvios em relação a média daquela pessoa e consequentemente um maior número de diagnósticos. Muitas vezes uma elevação na concentração de determinado metabólito, estando o mesmo ainda dentro da faixa de referência, já indica o uso de substância ilícita.
 
Esta metodologia certamente representa um avanço no sentido de se evitar que competidores levem vantagem em relação aos outros através do uso de ferramenta proibida. No entanto, devemos sempre lembrar que o dopping, de maneira geral, anda sempre alguns passos a frente do anti-dopping. Nesse sentido o trabalho de educação junto dos jogadores e treinadores tem um papel muito importante, já que quando a pessoa entende que o dopping traz prejuízo não apenas a imagem do atleta e da modalidade em questão, mas também a sua própria saúde, as chances de que ocorra reduzem. Em especial quando este trabalho é feito desde cedo dentro da vida do atleta, já que muitas vezes a exposição aos chamados PEDs (Performance Enhancing Drugs) se dá ainda na adolescência.
 
Já, desde a EuroCOPA de 2012, a coleta das amostras para fins de elaboração deste perfil biologico vem sendo feita. Além disso, antes mesmo do início desta Copa do Mundo, todos os jogadores inscritos também forneceram amostras permitindo que esta técnica já esteja em uso. 
 
Outro ponto interessante e, até certo ponto curioso, diz respeito ao laboratório que fará a análise das amostras. Trata-se de um laboratório na cidade de Lausanne, na Suiça, distante das cidades cede cerca de 20 horas. A referida instituição foi escolhida depois do descredenciamento da única instituição brasileira capacitada para a tarefa no ano passado e também por conta de ser justamente a cede destes perfis que vem sendo montados dos atletas. Esta unidade de analises clínicas vai funcionar 7 dias por semana 24 horas por dia a fim de entregar os resultados dos testes sempre antes do próximo jogo de cada seleção.
 
O passaporte biologico já foi utilizado na Copa das Confederações do ano passado, mas os resultados ainda não são de conhecimento público. Nós da Comissão Temporária para o Esudo da Endocrinologia, Exercício e Esporte (CTEEE) reforçamos que nosso trabalho gira em torno, basicamente, de ações de educação médica continuada, a fim de capacitar os endocrinologistas a militar nesta área. Sempre de forma ética e nunca indicando anabolizantes para nossos pacientes.
 
Torceremos para que nenhum caso de dopping ocorra na nossa Copa!
 
Na foto, José Luiz Runco, primeiro à esquerda, coordenador médico da CBF.
 
Equipe Médica da Seleção Brasileira
 
Foto Celso Pupo, equipe médica da Seleção Brasileira na Granja Comary.
 
 
cbaem 2019
Proendocrino set 2018