Pioglitazona Retirada do Mercado

relogio 21/06/2011 - 15:34 Notícias

A EMA (European Medicines Agency) informou que a Agência Francesa de Medicamentos decidiu suspender o uso da pioglitazona no país. A decisão foi tomada após publicação de um estudo que afirma que pessoas que utilizam esta medicação estão mais sujeitas a ter câncer de bexiga. A EMA deve revisar os dados disponíveis e recomendar as ações apropriadas na União Europeia.  

Da mesma forma, as principais sociedades médicas emitiram parecer sobre o anúncio feito pela Food and Drug Administration EUA (FDA). De acordo com o anúncio da FDA, informações sobre este risco serão acrescentadas às bulas de medicamentos contendo pioglitazona.

Em resposta ao comunicado do FDA, The Endocrine Society, a Associação Americana de Endocrinologistas Clínicos e a American Diabetes Association recomendam aos pacientes que estejam se tratando com qualquer combinação de medicamentos que inclua a pioglitazona, para continuar a tomá-los, a não ser que o médico responsável oriente o contrário. Suspender o remédio para diabetes pode resultar em níveis mais elevados de glicose no sangue que podem causar sérios problemas de saúde a curto prazo e podem aumentar o risco de complicações relacionadas ao diabetes a longo prazo.

A Endocrine Society, a Associação Americana de Endocrinologistas Clínicos e a American Diabetes Association recomendam que os pacientes sigam a orientação dada pelo FDA:

  • Pode haver uma chance maior de ter câncer de bexiga quando se toma pioglitazona;
  • Não tome a pioglitazona se estiver em tratamento para câncer de bexiga;
  • Converse com seu médico imediatamente se tiver quaisquer dos sintomas de câncer de bexiga, incluindo sangue ou de cor vermelha na urina, necessidade urgente de urinar ou dor ao urinar, dor nas costas ou abdômen inferior; Leia a bula da pioglitazona, especialmente a parte em que se explicam os riscos associados ao uso da droga, e
  • Converse com seu médico se tiver dúvidas ou preocupações ao usar pioglitazona.

De acordo com o anúncio, a análise provisória de cinco anos de um estudo que irá durar dez (ainda em curso) mostrou que apesar de não haver risco total aumentado de câncer de bexiga com o uso de pioglitazona, um risco aumentado foi observado entre os pacientes que usaram pioglitazona por mais tempo e também entre aqueles que usaram doses mais elevadas.

O FDA está aguardando um estudo de avaliação de 10 anos de uso da pioglitazona que estará disponível em breve.

Pro Endocrino setembro 2019
Universidade online SBEM