Paralisação no Atendimento

relogio 10/03/2011 - 08:55
Cerca de 160 mil médicos que prestam serviços às seguradoras e operadoras de planos de saúde devem cruzar os braços no dia 7 de abril, mesmo dia em que se comemora o Dia Mundial da Saúde. A paralisação está sendo organizada pelas entidades médicas nacionais FENAM, Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Médica Brasileira (AMB) e tem como objetivo protestar contra o recente reajuste dos honorários, considerado por elas irrisório.

De acordo com a “Carta aos Médicos”, enviada a todos os especialistas, será denunciada, também, a interferência dos planos de saúde na autonomia do médico, além de exigir das operadoras e da ANS a regularização dos contratos, que “não têm cláusulas de periodicidade e critérios de reajustes, contrariando a regulamentação existente”.

No documento, as entidades também apontam as diretrizes nacionais do movimento: organizar a luta por reajustes de honorários, tendo como balizador os valores da CBHPM/ sexta edição; exigir a regularização dos contratos entre operadoras e médicos, conforme a Resolução ANS Nº 71/2004; e promover ações no Congresso Nacional, visando a aprovação de projetos de lei que contemplem a relação entre médicos e planos de saúde.

Os atendimentos de urgência e emergência devem ser mantidos. Além de paralisar o atendimento, as entidades solicitam a divulgação do manifesto junto a colegas de trabalho, de especialidade e da região.

Leia abaixo a íntegra das duas cartas, a primeira para os médicos e a segunda para a população.

Carta aos Médicos

Carta à População