Os Desafios na Organização do CBEM 2018

relogio 03/07/2018 - 12:07 CBEM 2018

O Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia (CBEM 2018) é o principal evento científico da SBEM neste ano. Durante o congresso, acontecem as principais reuniões que definem os caminhos da Sociedade como o Conselho Deliberativo, Assembleia Geral e reuniões de Departamentos e de Comissões.

O Dr. Paulo Miranda, presidente do CBEM 2018, fala sobre os desafios do retorno do evento a Minas Gerais, as parcerias e como os endocrinologistas podem se preparar para estar em um evento muito acolhedor, bem ao estilo mineiro.  

Qual a responsabilidade de levar um evento para Minas Gerais depois de tanto tempo?

Dr. Paulo Miranda: Realmente é uma grande responsabilidade trazer o Congresso de novo para Minas. O último foi em 1992 e foi um excelente evento. Cabe à nossa geração, e a esse grupo, que está trabalhando, fazer com que seja memorável e acolhedor, que é uma forte característica mineira. Queremos manter a excelência científica e a organização. É o que se espera e estamos trabalhando muito para que todas essas expectativas, tanto da endocrinologia nacional como também da endocrinologia mineira, sejam atendidas.

Quais as maiores diferenças que observa entre os dois eventos? Avanços científicos, estrutura, organização, logística, envolvimento dos endocrinologistas?

Dr. Paulo Miranda: Nos últimos anos a endocrinologia nacional e mundial, especialmente a brasileira, cresceu muito. Com isso, temos grandes pesquisadores e grandes endocrinologistas com muita representatividade. Somado a isso o número de convidados internacionais aumentou, em relação ao congresso anterior em Minas Gerais, em 1992. Temos mais aulas e mais tempo de Congresso. Serão sete salas em quatro dias de Congresso.

Em relação à cidade, crescemos muito. Belo Horizonte, nos últimos anos, ganhou em todos os campos, inclusive na economia, mas mantendo as características de uma cidade pequena.  E a terceira maior do país com 5 milhões e meio de habitantes e cara interiorana, uma culinária típica e os atrativos que uma capital precisa.

Sabemos que foram feitas parcerias com entidades internacionais. Como vê esse trabalho em conjunto?

Dr. Paulo Miranda: A parceria da SBEM com a Endocrine Society e com a European Society Endocrinology foram grandes conquistas, iniciadas em 2014, no Congresso Brasileiro em Curitiba, liderado pelo Dr. César Boguszewski. Um trabalho que vem se mantendo ao longo desses anos e trazendo frutos de novas parcerias e palestrantes internacionais. É importante, também, mostrar para o mundo a qualidade da organização e do debate científico dos nossos eventos. As entidades internacionais têm trazido um bom debate e uma parceria que, no nosso entender, vai continuar crescendo é esse frutificando.

Como está sendo o envolvimento da endocrinologia mineira na realização do evento?

Dr. Paulo Miranda: Nosso grupo local tem trabalhado e discutido bastante para atingir a todas as expectativas, que são grandes. Estaremos prontos para que os convidados nacionais e os congressistas de todo o Brasil sejam bem recebidos e que se sintam em casa aqui, em Minas. Teremos uma participação importante dos especialistas mineiros em diversas áreas.

Como está sendo administrar uma comissão formada por representantes de diversos estados, com os departamentos, diretoria etc?

Dr. Paulo Miranda: Estar à frente do Congresso Brasileiro, sem dúvida, é a maior honra que já tive na minha carreira, Além de ser um grande desafio é especial poder estar trabalhando com um grupo de colegas de tamanho brilhantismo e qualidade técnica e científica. Entretanto, é um desafio facilitado por toda a capacidade e envolvimento das pessoas do grupo. Lógico que temos momentos de tensão, mas sempre extremamente prazerosos.

Alguma dicas aos que viajarem para Belo Horizonte? 

Dr. Paulo Miranda: Um conselho para os congressistas é que venham prontos para um CBEM vibrante, com sua grade científica  e organização cheia de novidades. Estaremos trabalhando para que as pessoas se sintam em casa. Sugiro que venham com tempo extra para que aproveitem todo o congresso e atividade científica, e com um dia ou dois extras para conhecer mais a nossa capital.

Temos atrações especiais como o  Museu Inhotim, que é considerado um dos melhores da América Latina,  assim como aproveitar os nossos arredores, em especial a cidade de Ouro Preto. Lembramos, também, que Belo Horizonte desenvolveu um circuito cultural bastante vibrante e que merece que os visitantes dediquem algum tempo para conhecer. Nossa cidade evoluiu e vem crescendo a cada dia.

 
cbaem 2019
Proendocrino set 2018