Células-tronco: Novidades

relogio 09/02/2010 - 17:36

Por Pablo de Moraes

Cientistas da USP de Ribeirão Preto vão coordenar um estudo sobre transplante de células-tronco para o tratamento do diabetes tipo 1, na Northwestern University, de Chicago, nos Estados Unidos. A Universidade é um dos mais importantes centros de estudos científicos do mundo. A técnica brasileira foi desenvolvida por pesquisadores do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e tem como objetivo o controle do diabetes sem a necessidade de insulina.

Em entrevista para o site da SBEM, o Dr. Eduardo Couri, um dos líderes da pesquisa, explicou que o convite se deu após a grande repercussão internacional sobre os resultados do estudo. “Ganhamos destaque em importantes periódicos mundiais, entre eles o Jama (Journal of the American Medical Association), por duas vezes. Além disso, em dezembro, nossa técnica foi aprovada pelo FDA (Food and Drug Administration), órgão americano responsável por avaliar segurança e importância de estudos clínicos relevantes, o que ampliou a credibilidade”, afirma. “A Universidade de Chicago será a sede de pesquisa, mas a técnica será implantada também na Europa”, completa.

Com o novo centro de pesquisa, o número de pacientes submetidos ao transplante deve aumentar. “O processo é o inverso do que normalmente ocorre. Desenvolvemos uma técnica aqui no Brasil, com sucesso, aprovada pelo Conep, que será testada em pacientes fora do país. Dessa forma, teremos verba para aumentarmos o número de pessoas que experimentarão o processo”, afirma. “É um passo muito importante para a ciência brasileira”, comemora o doutor.

A primeira cirurgia foi realizada em 2004 e, desde então, 24 pacientes já se submeteram ao procedimento. Destes, 21 ficaram livres de insulina em algum momento, num período de 6 meses a cinco anos. Atualmente, 11 pessoas estão livres da insulina.

Saiba Mais:

Leia Mais: