Novidades no ENDO 2013

relogio 20/06/2013 - 12:01 Notícias

Como era previsto, o ENDO 2013 trouxe novidades em várias áreas da endocrinologia. O evento é promovido pela The Endocrine Society e aconteceu entre os dias 15 e 18 de junho, em São Francisco, Califórnia, EUA.

Foram discutidos vários tópicos do tema adolescentes e endocrinologia, como desordem de identidade de gênero (transexualidade) e distúrbios alimentares. As pesquisas apresentadas mostraram que a intervenção médica (terapia hormonal) em jovens transexuais mostra-se segura e eficiente, para que possam fazer a mudança de gênero. A supressão da puberdade em longo prazo também não mostra efeitos deletérios ao metabolismo. Outro ponto levantado é que até mesmo a altura do paciente pode ser adequada ao gênero desejado.

Em relação aos distúrbios alimentares, a reposição de estrogênio em adolescentes do sexo feminino, que apresentam quadro de anorexia, pode trazer redução da ansiedade (independentemente de variações de peso); preveniu o aumento de ansiedade quando houve ganho de peso, em comparação às meninas que não receberam o hormônio. A reposição de estrogênio não causou impactos na alimentação ou na percepção corporal, mas preveniu o aumento com a insatisfação quando houve aumento de peso. No entanto, ainda são necessários mais estudos para avaliar os benefícios desse tratamento.

Sobre obesidade, foram discutidos os impactos de não tomar café da manhã e quais as respostas de mulheres obesas a esse tipo de comportamento. A pesquisa concluiu que isso pode resultar em um aumento relativo da resistência à insulina, que, por sua vez, pode gerar mais problemas metabólicos e até levar ao surgimento de diabetes tipo 2.

Os disruptores endócrinos também ganharam destaque: foram mostrados trabalhos que demonstram aumento de susceptibilidade ao câncer no epitélio da próstata humana em indivíduos expostos ao bisfenol A (BPA). Outro ponto discutido foi a exposição do feto ao triclocarban, que pode levar à diminuição da expectativa de vida.

Um estudo sobre alteração de sono mostrou que essa condição está diretamente relacionada à diminuição da sensibilidade à insulina. Outra pesquisa apresentada no congresso demonstrou que o diabetes mal controlado é a principal causa de mortalidade em pacientes que se submeteram a transplante pulmonar. Além disso, foi apresentada redução da sensibilidade à insulina ao se fazer reposição de testosterona em homens com diabetes tipo 2 e hipogonadismo.

cbaem 2019