Novas Diretrizes

Eventos Médicos

Novas Diretrizes

por site em 15 de abril de 2021


Já podem ser consultados, no site do Projeto Diretrizes, os 40 novos direcionamentos elaborados por Sociedades Médicas. A finalidade é disponibilizar ao médico uma ferramenta para auxiliar o raciocínio e a tomada de decisões, de forma que o profissional possa oferecer a melhor conduta a cada paciente.

Os 40 novos textos foram elaborados por oito Sociedades, entre elas a SBEM, que contribuiu com a diretriz "Síndrome de Cushing Independente do Hormônio Adrenocorticotrófico (ACTH)". O material compõe o oitavo volume do Programa, a ser lançado em breve, totalizando 320 diretrizes publicadas.

O projeto é uma iniciativa da Associação Médica Brasileira (AMB) e do Conselho Federal de Medicina (CFM) para a produção de direcionamentos baseados em evidências científicas.

Confira os novos temas disponíveis:

  • Abordagem das Parasitoses Intestinais mais Prevalentes na Infância;
  • Aderência a Tratamento Medicamentoso;
  • Alcoolemia e Direção Veicular Segura;
  • Anestesia Venosa Total em Cirurgia Cardíaca;
  • Anestesia Venosa Total em Colecistectomia Laparoscópica;
  • Anestesia Venosa Total em Obesidade Mórbida;
  • Anestesia Venosa Total em Otorrinolaringologia;
  • Anestesia Venosa Total em Procedimentos Ambulatoriais;
  • Anestesia Venosa Total em Procedimentos Neurocirúrgicos;
  • Anestesia Venosa Total para Sedação;
  • Avaliação Nutrológica Pré e Pós Operatória em Cirurgia Bariátrica;
  • Bexiga Urinária: Cateterismo Intermitente;
  • Carcinoma de Células Germinativas do Testículo: Diagnóstico e Estadiamento;
  • Carcinoma de Células Germinativas do Testículo: Fatores Prognósticos;
  • Carcinoma de Células Germinativas do Testículo: Tratamento;
  • Cefaleias em Adultos na Atenção Primária à Saúde: Diagnóstico e Tratamento;
  • Cervicalgia: Diagnóstico na Atenção Primária à Saúde;
  • Cervicalgia: Tratamento na Atenção Primária à Saúde;
  • Demência do Idoso: Diagnóstico no Atendimento Primário;
  • Dispepsia não-investigada: Diagnóstico e Tratamento na Atenção Primária;
  • Diverticulite: Diagnóstico e Tratamento;
  • Doadores Limítrofes no Transplante de Coração;
  • Doadores Limítrofes no Transplante de Fígado;
  • Doadores Limítrofes no Transplante de Pâncreas;
  • Doadores Limítrofes no Transplante de Pulmão;
  • Doadores Limítrofes no Transplante de Rim: Quanto à Função;
  • Doadores Limítrofes no Transplante de Rim: Quanto à Transmissão de doenças ou Presença de Anomalias Anatômicas;
  • Doença de Crohn Intestinal: Manejo;
  • Esterilização Feminina: Indicação;
  • Esterilização Masculina: Indicação;
  • Fadiga Crônica: Diagnóstico e Tratamento;
  • Fissura Anal: Manejo;
  • Gasto Energético Avaliado pela Calorimetria Indireta;
  • Hepatite B Crônica: Tratamento;
  • Hepatite C Crônica: Tratamento;
  • Rastreamento do Sedentarismo em Adultos e Intervenções na Promoção da Atividade Física na Atenção Primária à Saúde;
  • Síndrome de Cushing Independente do Hormônio Adrenocorticotrófico (ACTH);
  • Terapia Nutrológica Oral e Enteral em Pacientes com Risco Nutricional;
  • Utilização da Bioimpedância para Avaliação da Massa Corpórea;
  • Varicocele

 

Como Elaborar uma Diretriz

O Projeto Diretrizes tem como objetivo reunir informações da área médica para padronizar condutas que auxiliem o raciocínio do profissional de saúde na tomada de decisão.

De acordo com o Dr. Claudio Kater, Coordenador do Projeto Diretrizes da SBEM/AMB, o primeiro passo é a escolha do tema, preferencialmente de acordo com as prioridades estabelecidas pela AMB e ANS (diabetes e obesidade, por exemplo). Escolhido o tema, a diretoria da SBEM define o coordenador daquele projeto, sendo que os departamentos também podem sugerir coordenadores e assuntos, através da diretoria. O coordenador, por sua vez, convida os autores, discute as perguntas estruturadas e a abordagem de visão do tema em capítulos, juntamente com o levantamento das questões.

A partir daí, a uma versão preliminar da diretriz é encaminhada para a AMB, onde o texto é revisado. Neste momento, a AMB acrescenta recomendações ao final de cada questionamento e avalia o grau de evidencia. Na AMB, essa versão passa para o coordenador do projeto e depois segue para a Agência Nacional de Saúde, onde uma câmara técnica define as populações, faz um reforço nas recomendações e avalia os benefícios. Posteriormente, o texto volta para a AMB, que reforça ou reavalia e, através dessa secretaria de revisores, existe a disponibilização online, num processo total que dura cerca de 12 meses. A diretriz entra, então, numa lista de espera para ser publicada em livro.

Segundo as explicações do Dr. Kater, para que todo o processo de elaboração seja feito de maneira consistente e eficaz, a AMB oferece oficinas gratuitas de treinamento. O curso deve ser solicitado pela sociedade médica, através da assinatura de um termo de compromisso que garanta a entrega do trabalho final.

O curso tem duração de 12 horas (realizados geralmente às sextas-feiras e/ou sábados) e são agendados pela Sociedade na Sede da AMB ou durante congressos das especialidades. A preferência, porém, é que eles sejam feitos na sede da AMB. "Desde 2009, as oficinas são específicas para a especialidade, com assuntos dirigidos de acordo com o tema da diretriz médica", afirma.