Negociação de Honorários

relogio 09/05/2011 - 09:36

Após a manifestação nacional no dia 7 de abril, que suspendeu o atendimento de planos e seguros de saúde e contou com mais de 160 mil médicos em todo o Brasil, os Conselhos de Medicina Estaduais começaram a negociar um acordo de reajuste com as operadoras. O primeiro passo foi dado pelo estado de São Paulo.
Depois  de duas reuniões entre as entidades de saúde do estado (APM,Cremesp, Simesp, Fenam Regional de São Paulo), uma no dia 26 de abril e outra no dia 2 de maio, as entidades definiram uma pauta mínima de reivindicações.

Eles exigem consulta a R$ 80,00 e procedimentos atualizados proporcionalmente de acordo com o sistema de hierarquização da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM), além da regularização dos contratos com a inserção de cláusula de reajuste anual com base no índice autorizado pela ANS para os planos individuais.

Inicialmente, as entidades chamaram para negociação 15 planos de saúde: Amil, Medial, Intermédica, Gama Saúde, Golden Cross, Green Line, Cassi (Banco do Brasil), Caixa Econômica Federal, ABET (Telefônica), Companhia de Engenharia e Tráfego (CET), GEAP, Embratel, Porto Seguro, Marítima e Notredame. Somente após a resposta das operadoras, os médicos convocarão assembléias para que as negociações possam continuar.