Medicamentos Antiobesidade

relogio 28/07/2011 - 20:03 Notícias

No dia 28 de julho, SBEM e ABESO participaram de mais um debate sobre a recomendação da ANVISA de retirada dos medicamentos anorexígenos e da sibutramina do mercado brasileiro. A reunião aconteceu na Academia Nacional de Medicina e teve como objetivo principal obter um parecer oficial da Academia sobre o tema.

A primeira a falar foi a representante da ANVISA – Dra. Maria Eugênia Cury – Gerente do Núcleo de Gestão do Sistema Nacional de Notificação e Investigação em Vigilância Sanitária – NUVIG. Ela apresentou um breve histórico sobre as discussões e explicou os motivos que levaram a Câmara Técnica a recomendar a suspensão dos medicamentos, citando o estudo SCOUT.

Em sua apresentação, Dr. Ricardo Meirelles, representando a SBEM, ressaltou que uma perda pequena de peso já pode ser considerada importante, uma vez que diminui o risco de desenvolvimento de outras doenças, como diabetes, problemas cardiovasculares e hipertensão. “A perda de peso é eficaz quando é maior ou igual a 1% ao mês ou pelo menos 5% de três a seis meses. Nosso objetivo principal não é levar o obeso a seu peso ideal, mas sim reduzir seu peso para que ele possa evitar o aparecimento de muitas doenças”, afirmou. O especialista explicou ainda como é recomendando o tratamento da obesidade.  “Num primeiro momento, indicamos as mudanças no estilo de vida, na alimentação, mas nem todo mundo consegue isso facilmente, e o tratamento farmacológico ajuda muito no tratamento da obesidade”, explica. “Na prática clínica, se uma pessoa não corresponder ao medicamento, nós mudamos o método. Sabemos que a sibutramina não é indicada para todos, mas não podemos proibir o uso para o paciente que se dá bem com o medicamento”, disse.

Logo depois, Dr. Amélio de Godoy-Matos, representando a ABESO, apresentou estudos que comprovam a eficácia e segurança dos medicamentos e afirmou que a grande maioria dos medicamentos apresenta riscos. Em sua conclusão, o especialista relembrou que a obesidade é uma doença com bases genéticas e afirmou que os medicamentos não representam razão risco/benefício maior do que diversas drogas de uso comum.

Ao final das apresentações, foi aberto o debate aos membros da academia e os participantes fizeram suas considerações finais.

Veja fotos da reunião

Dr. Ricardo Meirelles, ao lado da representante da Anvisa, Maria Eugênia Cury

Dr. Amélio de Godoy-Matos, representando a ABESO.

Veja a apresentação completa em vídeo, gentilmente cedido pela Academia para o site da SBEM.

 

 

cbaem 2019
Pro Endocrino abril 2019