Manifestações pelo Brasil

relogio 04/07/2013 - 10:30 Notícias

A manifestação dos profissionais de saúde tomou conta de diversas cidades brasileiras, no dia 3 de julho. Os protestos englobavam remuneração da gratificação, contra a importação de médicos, a questão do revalida, e o plano de carreira de estado para o médico poder interiorizar.

São Paulo

De acordo com o Cremesp (Conselho Regional de Medicina de São Paulo), mais de 5 mil médicos compareceram à manifestação realizada no dia 3 de julho. O protesto foi contra a vinda de profissionais graduados no exterior sem prestar prova de revalidação de diploma no Brasil. Diretores e vários representantes de entidades médicas paulistas participaram da  passeata.

Os manifestantes se concentraram na sede paulista da Associação Médica Brasileira (AMB) e foram até o gabinete de representação da Presidência da República, localizado na Av. Paulista, esquina com a R. Augusta.

Na ocasião, as lideranças protocolaram uma carta à presidente Dilma Rousseff, com o intuito de repudiar o anúncio do Governo Federal de trazer médicos formados fora do país sem a necessidade de revalidar os diplomas.

No interior do estado, na cidade de São José do Rio Preto, a manifestação foi realizada em frente a Prefeitura da cidade.

Santa Catarina

Médicos de todo o país se reuniram em diversas cidades na manhã desta quarta-feira em protesto contra a vinda de profissionais estrangeiros para o país. A manifestação em Santa Catarina foi chamada de “Esquina Democrática” e reuniu centenas de médicos no centro de Florianópolis. A junção das ruas Felipe Schmidt e Trajano foi palco de diversas manifestações políticas ao longo da história, e abrigou dessa vez especialistas e estudantes de medicina, com o nítido apoio da população presente.

De acordo com o Dr. Alexandre Hohl diversos profissionais da área marcaram presença. “A manifestação contou com a colaboração de endocrinologistas da SBEM-SC e demais especialistas de outras instituições”, comentou o médico.

Foram distribuídos panfletos e exibidos cartazes e faixas sobre a situação caótica da saúde brasileira. As entidades médicas de Santa Catarina (Associação Catarinense de Medicina - ACM, Conselho Regional de Medicina de Santa Catarina - CREMESC e Sindicato dos Médicos de Santa Catarina - SIMESC) foram representadas pelo Conselho Superior das Entidades Médicas de Santa Catarina (COSEMESC), e todos os representantes explicaram o motivo da manifestação e depois, foi cantado o Hino Nacional Brasileiro por todos os presentes.

 

Ceará

A manifestação em Fortaleza reuniu 4 mil médicos, muitos deles, endocrinologistas. 

 

 

Bahia

Em Salvador, capital da Bahia, também foi realizada, pelos médicos e estudantes de medicina, manifestações pela cidade. Compareceram, aproximadamente, 2000 pessoas. Elas percorreram as ruas do Centro da cidade - do Largo do Campo Grande à Praça Castro Alves.

Pro Endocrino setembro 2019
Universidade online SBEM