Avaliação Corporal no RJ

relogio 13/07/2015 - 15:45 Cursos

A cidade do Rio de Janeiro recebeu, no último dia 11 de julho, o Curso Avançado de Avaliação da Composição Corporal. Entre os presentes no evento, idealizado pela SBEM e International Society for Clinical Densitometry (ISCD), estavam o Dr. Alexandre Hohl, presidente da entidade; o Dr. Rodrigo Moreira, membro da diretoria; o Dr. Fabio Moura, presidente da Comissão Temporária para o Estudo da Endocrinologia do Exercício e do Esporte (CTEEE) da SBEM, o os membros da CTEEE, Dr. Roberto Luis Zagury e o Dr. Ricardo Oliveira.

Na parte da manhã foram realizadas palestras sobre “Avaliação da Composição Corporal” e o Dr. John Shepherd, dos Estados Unidos, ministrou sua aula pela internet. Na parte da tarde o assunto tratado foi a “Suplementação Nutricional para o Clínico”. A abertura foi feita pelo Dr. Alexandre Hohl. O especialista comentou que o médico endocrinologista tem buscado informação científica, tanto na área de suplementação alimentar, quanto na área de composição corporal. “A SBEM vem trabalhando intensamente, desde a criação da CTEEE, com temas, como, suplementação alimentar, informações científicas do uso inadequado de anabolizantes, questão do exercício físico em doentes, entre outros pontos importantes”.

O presidente da entidade explica que a demanda sobre esse assunto vem crescendo e a Sociedade tem aprofundado, cada vez mais, esse tema em seus eventos, como no CBEM 2014, CBAEM 2013 e em eventos das Regionais. “Agora chegou o momento de fazer um curso fora desses eventos. Esse é o primeiro evento vinculado a CTEEE, por isso estamos tendo todo esse cuidado de trazer as pessoas da Sociedade para falar sobre o tema de suplementação de uma maneira científica, baseada em evidências e para que possa ter uma discussão profunda sobre o assunto”.

Dr. Fabio Moura destacou um ponto bastante discutido, quando se fala de suplementação alimentar: o Whey Protein. O presidente da Comissão explicou que o Whey é uma proteína do soro do leite, de alto valor biológico e de alta digestabilidade. “Realmente existem evidências científicas que seu uso melhora a hipertrofia muscular. Mas, desde que seja usada dentro de um contexto, de um plano nutricional, com uma cota proteica adequada e que seja usada no tempo ideal, logo após do exercício físico resistido”.

O especialista afirma que a SBEM está alerta para as necessidades do mundo moderno e entre essas demandas crescentes, está o uso desse tipo de suplemento. “a SBEM se vê com a obrigação de prestar esse esclarecimento e informação para seus associados, para sempre de forma ética e científica, baseada em evidências, para que o uso seja adequado”.

cbaem 2019