Cirurgia do Diabetes

relogio 10/11/2009 - 10:56
O Conselho Nacional de Saúde, do Ministério da Saúde, considera ilegal a técnica conhecida como Interposição do Íleo, criada pelo médico goiano Áureo Ludovico de Paula. A cirurgia voltou a ser destaque nos últimos dias em veículos de comunicação da grande imprensa, entre eles, na revista Época, na reportagem “Quantos Quilos Vale a Sua Vida?”.

Embora ela tenha sido apresentada como uma cirurgia que cura o diabetes tipo 2, a nova técnica não é regulamentada pelo Conselho Federal de Medicina e nem pode ser considerada experimental, já que não possui protocolo de pesquisa registrado no Comitê Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). Além disso, os riscos não foram avaliados.

A SBEM já havia se posicionado a respeito, em dezembro de 2008, afirmando que cirurgias deste tipo só seriam admissíveis dentro de um protocolo de pesquisa. De acordo com o Dr. Ricardo Meirelles, presidente da Sociedade, além da necessidade do registro no Conep, todos os cuidados aos pacientes operados precisam ser garantidos. “É de fundamental importância que os candidatos à cirurgia assinem um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido que explique claramente os possíveis riscos e benefícios do procedimento”, afirma o presidente.

Pelo menos 450 pacientes no Brasil já passaram pelo procedimento, que aproxima do estômago uma parte do íleo, porção final do intestino delgado, onde são secretados hormônios que estimulam a ação da insulina no pâncreas. Durante a operação, o médico faz também uma redução de cerca de 40% do estômago.

O Conselho Nacional de Saúde pretende mapear todos os pacientes que foram submetidos à nova técnica e acompanhar a evolução deles.

Saiba Mais