Dia mundial do diabetes 2014
Carregando

Novas Diretrizes

Já podem ser consultados, no site do Projeto Diretrizes, os 40 novos direcionamentos elaborados por Sociedades Médicas. A finalidade é disponibilizar ao médico uma ferramenta para auxiliar o raciocínio e a tomada de decisões, de forma que o profissional possa oferecer a melhor conduta a cada paciente.

Os 40 novos textos foram elaborados por oito Sociedades, entre elas a SBEM, que contribuiu com a diretriz "Síndrome de Cushing Independente do Hormônio Adrenocorticotrófico (ACTH)". O material compõe o oitavo volume do Programa, a ser lançado em breve, totalizando 320 diretrizes publicadas.

O projeto é uma iniciativa da Associação Médica Brasileira (AMB) e do Conselho Federal de Medicina (CFM) para a produção de direcionamentos baseados em evidências científicas.

Confira os novos temas disponíveis:

  • Abordagem das Parasitoses Intestinais mais Prevalentes na Infância;
  • Aderência a Tratamento Medicamentoso;
  • Alcoolemia e Direção Veicular Segura;
  • Anestesia Venosa Total em Cirurgia Cardíaca;
  • Anestesia Venosa Total em Colecistectomia Laparoscópica;
  • Anestesia Venosa Total em Obesidade Mórbida;
  • Anestesia Venosa Total em Otorrinolaringologia;
  • Anestesia Venosa Total em Procedimentos Ambulatoriais;
  • Anestesia Venosa Total em Procedimentos Neurocirúrgicos;
  • Anestesia Venosa Total para Sedação;
  • Avaliação Nutrológica Pré e Pós Operatória em Cirurgia Bariátrica;
  • Bexiga Urinária: Cateterismo Intermitente;
  • Carcinoma de Células Germinativas do Testículo: Diagnóstico e Estadiamento;
  • Carcinoma de Células Germinativas do Testículo: Fatores Prognósticos;
  • Carcinoma de Células Germinativas do Testículo: Tratamento;
  • Cefaleias em Adultos na Atenção Primária à Saúde: Diagnóstico e Tratamento;
  • Cervicalgia: Diagnóstico na Atenção Primária à Saúde;
  • Cervicalgia: Tratamento na Atenção Primária à Saúde;
  • Demência do Idoso: Diagnóstico no Atendimento Primário;
  • Dispepsia não-investigada: Diagnóstico e Tratamento na Atenção Primária;
  • Diverticulite: Diagnóstico e Tratamento;
  • Doadores Limítrofes no Transplante de Coração;
  • Doadores Limítrofes no Transplante de Fígado;
  • Doadores Limítrofes no Transplante de Pâncreas;
  • Doadores Limítrofes no Transplante de Pulmão;
  • Doadores Limítrofes no Transplante de Rim: Quanto à Função;
  • Doadores Limítrofes no Transplante de Rim: Quanto à Transmissão de doenças ou Presença de Anomalias Anatômicas;
  • Doença de Crohn Intestinal: Manejo;
  • Esterilização Feminina: Indicação;
  • Esterilização Masculina: Indicação;
  • Fadiga Crônica: Diagnóstico e Tratamento;
  • Fissura Anal: Manejo;
  • Gasto Energético Avaliado pela Calorimetria Indireta;
  • Hepatite B Crônica: Tratamento;
  • Hepatite C Crônica: Tratamento;
  • Rastreamento do Sedentarismo em Adultos e Intervenções na Promoção da Atividade Física na Atenção Primária à Saúde;
  • Síndrome de Cushing Independente do Hormônio Adrenocorticotrófico (ACTH);
  • Terapia Nutrológica Oral e Enteral em Pacientes com Risco Nutricional;
  • Utilização da Bioimpedância para Avaliação da Massa Corpórea;
  • Varicocele

 

Como Elaborar uma Diretriz

O Projeto Diretrizes tem como objetivo reunir informações da área médica para padronizar condutas que auxiliem o raciocínio do profissional de saúde na tomada de decisão.

De acordo com o Dr. Claudio Kater, Coordenador do Projeto Diretrizes da SBEM/AMB, o primeiro passo é a escolha do tema, preferencialmente de acordo com as prioridades estabelecidas pela AMB e ANS (diabetes e obesidade, por exemplo). Escolhido o tema, a diretoria da SBEM define o coordenador daquele projeto, sendo que os departamentos também podem sugerir coordenadores e assuntos, através da diretoria. O coordenador, por sua vez, convida os autores, discute as perguntas estruturadas e a abordagem de visão do tema em capítulos, juntamente com o levantamento das questões.

A partir daí, a uma versão preliminar da diretriz é encaminhada para a AMB, onde o texto é revisado. Neste momento, a AMB acrescenta recomendações ao final de cada questionamento e avalia o grau de evidencia. Na AMB, essa versão passa para o coordenador do projeto e depois segue para a Agência Nacional de Saúde, onde uma câmara técnica define as populações, faz um reforço nas recomendações e avalia os benefícios. Posteriormente, o texto volta para a AMB, que reforça ou reavalia e, através dessa secretaria de revisores, existe a disponibilização online, num processo total que dura cerca de 12 meses. A diretriz entra, então, numa lista de espera para ser publicada em livro.

Segundo as explicações do Dr. Kater, para que todo o processo de elaboração seja feito de maneira consistente e eficaz, a AMB oferece oficinas gratuitas de treinamento. O curso deve ser solicitado pela sociedade médica, através da assinatura de um termo de compromisso que garanta a entrega do trabalho final.

O curso tem duração de 12 horas (realizados geralmente às sextas-feiras e/ou sábados) e são agendados pela Sociedade na Sede da AMB ou durante congressos das especialidades. A preferência, porém, é que eles sejam feitos na sede da AMB. "Desde 2009, as oficinas são específicas para a especialidade, com assuntos dirigidos de acordo com o tema da diretriz médica", afirma.

 

comments powered by Disqus

Saiba Mais