cbem2014
Carregando

Discurso de Posse

Confira, na íntegra, o discurso feito pelo atual presidente da SBEM, Dr. Airton Golbert, durante sua posse. A Cerimônia ocorreu no dia 19 de março de 2011, no Rio de Janeiro.

 

Meus prezados e queridos colegas de diretoria da gestão que encerra o seu mandato: Ricardo, Josivan, Eduardo, Ronaldo e Adriana. Caros colegas que passam a dividir comigo, a partir de hoje, a jornada dos próximos dois anos na gerência da SBEM. Colegas que trabalharão conosco à frente das 22 regionais, das 14 comissões e dos 10 departamentos científicos que compõem a SBEM. Meus amigos e familiares, senhoras e senhores presentes.

A SBEM faz parte da minha vida nos últimos 35 anos. Para mim, é uma grande honra - e satisfação - chegar à sua presidência.  Há 35 anos, sou sócio desta, que é a terceira maior sociedade de endocrinologistas do mundo. E, por ser a SBEM tão grande e importante, assumir sua presidência é tarefa de muita responsabilidade. Pretendo fazê-lo utilizando experiências societárias que vim adquirindo ao longo do tempo, tanto em minha experiência mais recente, como vice-presidente da gestão que se despede, como durante os mais de 20 anos que participei em diversos cargos na regional do Rio Grande do Sul.

São muitos anos de dedicação à vida societária e isto não diminui o impacto emocional deste momento: pelo contrário. Ter estado próximo às demandas da SBEM, em suas diferentes representações, levou-me a dimensionar o seu potencial, a sua penetração na sociedade maior, os méritos do que foi sendo construído a nível interno e externo. Formamos, a partir de hoje, uma diretoria nova, mas em continuidade à que nos antecede. Levaremos os projetos adiante.

A minha responsabilidade, como presidente, é ainda maior, porque sucedo a Ricardo Meirelles, - com quem apreendi muito-, e cuja gestão foi exemplar em todos os aspectos:  o querido colega soube ser, ao mesmo tempo, afetivo e efetivo. Uma gestão sustentada pela ética, seriedade e competência, o que certamente engrandeceu a SBEM.

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia completou 60 anos no ano de 2010 e a sua atuação foi - e vem - se modificando consideravelmente, ao longo dos anos. Do fomento de atualizações científicas para seus associados, como era em seus primórdios, a SBEM vem sendo solicitada para diversas tarefas na defesa do bom exercício da endocrinologia, e também no que tange ao relacionamento com os gestores de saúde.  

É digno de nota o fato recente, amplamente divulgado pela mídia, sobre a decisão do governo de retirar do mercado medicamentos para obesidade. Graças a um trabalho conjunto da diretoria da SBEM e membros da ABESO, obtivemos uma vitória importante num primeiro round, em audiência pública com membros da ANVISA e do governo federal.  Nesta, a posição científica dos médicos endocrinologistas foi brilhantemente defendida pelo nosso presidente Ricardo. Neste episódio, evidenciou-se ainda mais a necessidade de haver uma entidade representativa da nossa classe. O então presidente da SBEM fez a voz dos endocrinologistas brasileiros soar uníssona, através de sua apresentação clara, firme e embasada em conhecimento técnico. A voz dos endocrinologistas saiu fortalecida. Fortaleceu-se, pois, também a SBEM, que é a soma de seus associados. Cada vez é mais fundamental a opinião dos especialistas no desenvolvimento das diretrizes e políticas de saúde.

Como já disse anteriormente, a gestão que ora se inicia pretende dar continuidade à política institucional que vem sendo adotada pela SBEM, nos últimos anos. Neste sentido, dentre as nossas metas, destaco:

 

1. A defesa da endocrinologia e da atuação dos endocrinologistas,

2. A valorização do título de especialista em endocrinologia e metabologia,

3. A manutenção de revistas internacionais disponíveis para uso dos associados, e seguir trabalhando no sentido de aumentar o acervo disponível.

4. A manutenção do excelente nível da nossa revista científica: os arquivos brasileiros de endocrinologia,

5. A luta para acrescentar medicações que, não sendo comerciais, desapareceram do mercado brasileiro, como hidrocortisona, LHRH, diazoxide entre outras.

6. Atuar no sentido de melhorar as condições de trabalho para os endocrinologistas, com qualidade e remuneração compatível,

7. Estimular as novas gerações de especialistas a participarem da SBEM,

8. Manter a implementação do projeto diretrizes,

9. Incentivar a inter-relação entre os departamentos científicos e regionais com a Nacional,

10. Manter os webmeetings e estudar outras formas de educação continuada.

Visando estes objetivos, convoquei para compor a nossa equipe um grupo de colegas experientes, reconhecidos por sua excelente participação em diversos postos na SBEM: Marise Lazareti, de São Paulo, Josivan Lima , do Rio Grande do Norte, Henrique Suplicy, do Paraná, Rosane Kupfer,  do Rio de janeiro e Luiz Griz, de Pernanbuco. Espero, também, poder contar com a colaboração e sugestões de todos associados.

Gostaria de agradecer à diretoria de que participamos nos últimos dois anos, colegas-amigos, que estão me apoiando na tarefa de seguir na gestão da sociedade. Em especial, um agradecimento a Ricardo Meirelles: Ricardo muito obrigado por todos os ensinamentos que me proporcionasse! Aprendi muito com a tua forma de trabalhar e com a tua experiência, que gentilmente compartilhaste conosco durante estes dois anos. Mereces descansar, meu amigo, pois a demanda foi grande. Mas quero te avisar que não estás fora: seguirás conosco, de alguma forma. Muito, pelo teu legado para a SBEM, mas também porque eu seguirei contando contigo, e tenho certeza que não fugirás à luta na hora em que fores solicitado.

Quero agradecer, também, às pessoas que foram importantes na minha trajetória:

  • Milton Golbert, meu primo, médico exemplar, meu inspirador para a especialidade;
  • Professor Henry Wolff, pioneiro da endocrinologia gaúcha, com grande espírito científico, e que me acolheu e estimulou;
  • Balduino Tschiedel, colega e amigo de todas as horas, de espirito inquieto e empreendedor, que muito me incentivou para esta empreitada;

Agradeço aos inúmeros colegas-amigos endocrinologistas gaúchos e de todo o Brasil que foram unânimes em me apoiar, desde o primeiro momento.

Por fim, agradeço o apoio da minha querida família, que me é fundamental, pois as minhas novas atribuições me exigirão um tempo que eles já sabem, certamente me afastará do convívio familiar.

  • André, Betita e Marcelo: muito obrigado.
  • À minha maior incentivadora, minha esposa, Cuca, uma palavra especial: obrigado pela paciência e pela grande ajuda em muitos momentos difíceis. Sem o teu apoio, eu não conseguiria chegar até aqui.

    Muito obrigado a todos,
Rio de Janeiro, 19 de março de 2011.

 Airton Golbert

comments powered by Disqus

Saiba Mais